Um casal que deseja colocar fim ao casamento deve buscar o divórcio para dissolver a sociedade conjugal que formaram. A maneira mais rápida de se conseguir esse fim, podendo levar apenas sessenta dias, é por meio do divórcio extrajudicial realizado pelo tabelião do cartório de notas em que é lavrada uma escritura pública de divórcio.

No entanto, deve se observar alguns requisitos para que o procedimento aconteça, sendo eles: não existir filhos menores ou incapazes;existir consenso entre as partes em relação ao divórcio;o casal estar assistido por um advogado ou defensor público; nesse caso, pode o mesmo profissional representar as duas partes, ou por preferência utilizarem um advogado para cada cônjuge.

Presentes os requisitos as partes devem estar com a seguinte documentação: cópia da carteira de identidade e CPF, certidão de casamento (expedida no máximo até 90 dias), cópia da carteira de identidade e CPF dos filhos maiores se houver. Além disso, o advogado apresentará minuta contendo todas as informações pactuadas entre as partes a respeito do divórcio e cópia da carteira da OAB.

Não podendo um dos cônjuges comparecer no momento da lavratura da escritura, pode ser representado por um procurador munido de uma procuração atualizada (30 dias) com poderes especiais para o ato e também de cópia da carteira de identidade e CPF.  

 Se houver bens a partilhar, devem ser analisados quais são eles e também o regime de comunhão de bens do casamento para definir como será realizada a partilha. Após essa analise é possível esclarecer quais são os documentos necessários para a lavratura da escritura de divórcio, como por exemplo: certidão de quitação de IPTU, certidão de matrícula atualizada do imóvel, documentos de veículos entre outros. Importante lembrar que não havendo consenso entre a partilha de bens, ou se as partes não quiserem dividi-los no momento da lavratura da escritura pública, podem optar por deixar a partilha para outro momento, ficando os bens em estado de condomínio.  

Os cônjuges que se enquadram no perfil descrito podem adotar o divórcio extrajudicial como a melhor forma de acabar com a comunhão plena de vida.