A honra de uma pessoa diz respeito ao princípio fundamental da dignidade da pessoa humana, defendido primordialmente por nossa Constituição Federal, ou seja, passível do maior nível de proteção em nosso sistema jurídico, devendo ser respeitado e mantido, sob pena de ser processado rigorosamente pelo Poder Judiciário.

Pode-se definir a honra como conjunto de aspectos morais e intelectuais de uma pessoa, que formam sua autoestima e reputação perante a sociedade em que vive.

Calúnia, difamação e injúria são crimes, tipificados em nosso Código Penal, e cada um destes atos é diferente do outro.

Caluniar alguém é atribuir-lhe fato falso, definido como crime, como se aquela pessoa o tivesse cometido. Um exemplo disso é estar em uma reunião com amigos na casa de algum deles e ao notar o sumiço de algum objeto, dizer que foi tal pessoa a responsável pelo furto, sem ter provas nem certeza dos fatos.

Difamação refere-se ao ato de falar publicamente mentiras sobre alguém, como se determinada pessoa de fato fizesse o que se fala, causando danos à sua reputação. Por exemplo, falar que o vizinho é devedor, não paga suas contas, quando isso é inverídico, configura o crime de difamação.

Injúria é o ato de xingar, atribuir qualidades negativas para uma pessoa, de forma verbal ou escrita, podendo ser física em algumas ocasiões também. Dizer que um colega de trabalho é imbecil, burro, dar-lhe um tapa na cara, são exemplos do que irá configurar o crime de injúria.

Para registrar o fato, a vítima deverá buscar uma delegacia de policia para que seja feito Termo Circunstanciado, semelhante ao boletim de ocorrência, narrando-se o ocorrido. Com isso, poderá através de seu advogado tomar as medidas cabíveis para processar o agressor e requerer judicialmente reparação pela violência sofrida.

Caso a vítima instaure processo criminal contra o agressor, as penas aplicadas serão de detenção e multa, podendo buscar indenização civil ainda, por danos morais.