Como falar desses temas nos dias de hoje?
As pessoas que detém os meios de aplica-los de forma efetiva se imiscuem, fazem de conta que não é com elas que estão acima do bem e do mal (que afeta tantos outros brasileiros).
Criou-se um sistema de dois pesos e duas medidas com um abismo enorme entre elas.
Os temas de interesse nacional não são discutidos são impostos de cima para baixo, e seu apoio é escancaradamente comprado.
O pior é que querem fazer crer ao povo que o que a televisão mostrou e os jornais noticiaram é mera ilusão, nada daquilo ocorre como contado.

Sou Advogado e faço parte da Comissão OAB VAI A ESCOLA, onde apresentamos o conceito de cidadania aos jovens do 9º ano que estão em uma fase de formação critica.

Os conceitos básicos estão incutidos nesses jovens, mas como manter um caminho correto, ético, moral, probo, com a mensagem que a classe politica passa para a sociedade.

A grande maioria das pessoas não concorda com essas atitudes, mas infelizmente não toma a atitude de fazer mudar.

Nesse ano teremos eleições majoritárias, é hora de votar em pessoas que não só pareçam honestas mas pratiquem essa virtude recorrentemente.
Pessoas que tenham ideais, e tenham ideias para mudar o status de caos que vemos todos os dias.

A economia hoje cresce por osmose, pois não há atitude do governo em promover reformas realmente necessárias.

Quer fazer uma reforma da previdência?

Façamos assim:
- Mantem-se as regras atuais de um modo geral;
- Estenda-se essas regras a todos os que recebem algum tipo de aposentadoria para o ssetor publico;
- Ou seja, ninguém recebe mais do que o teto de R$ 5.550,00 reais da previdencia;
- Todos aqueles que quiserem um valor maior simplesmente façam uma previdêcia privada;
Corte privilégios de ex-políticos e dos políticos.
Revejam o teto dos gastos com campanha: como alguem que vai receber no máximo R$ 1.700.000,00 vai gastar R$ 2.500.000,00 para se eleger, matemática ruim.

Vamos tornar a corrupção crime hediondo coma perda dos bens do corrupto e do patrimônio de parentes e amigos que não souberem explicar de onde veio o dinheiro para a aquisição de bens.

Esse é o caminho.

Acompanhe a política e vote consciente na próxima eleição!