Atualmente, o rápido avanço da tecnologia não consegue ser acompanhado pela legislação, que muitas vezes é deficiente em proteger os indivíduos contra eventuais abusos em seus direitos.

Mais recentemente, um novo aplicativo vem chamando atenção pela possibilidade de até mesmo acobertar crimes virtuais de autoria anônima, pois permite que usuários façam ofensas diversas a outros indivíduos que utilizem a plataforma, o chamado “Sarahah”.

É claro que a ideia do aplicativo não é permitir a ofensa, mas o seu formato acaba autorizando o chamado cyberbulling. A plataforma serve para que as pessoas divulguem um perfil e recebam comentários de usuários não identificados, como uma forma de divulgação de feedbacks positivos, o que nem sempre é respeitado.

Apesar da falta de uma regulamentação mais precisa, a partir da regulação do Marco Civil da Internet no Brasil, algumas medidas já podem impedir que a ferramenta seja utilizada para a prática de crimes específicos como, por exemplo, os crimes contra a honra e a injúria racial. Isso porque, há a possibilidade de rastreamento do número de IP do usuário, que pode posteriormente ser utilizado em eventual processo judicial.

Embora nem sempre seja possível identificar quando uma ofensa constitui ou não crime, é possível que o usuário ofendido recorra aos meios judiciais para ser reparado. Isso pode ocorrer também pela abertura de reclamações perante a própria plataforma do aplicativo.

Em todo caso, é sempre necessário que o usuário reúna os elementos de prova que tenha obtido como, por exemplo, registro de conversas e comentários ofensivos, podendo, posteriormente, lavrar Boletim de Ocorrência desse fato. No Brasil, inclusive, há delegacias próprias para a apuração da prática de crimes virtuais.