Já ouviu falar de alguém que teve o nome sujo por uma dívida que não era dela? 


Infelizmente isso acontece com uma certa frequência. O que pode ser feito? 

Bem, primeiro, precisamos ter certeza que realmente não contratamos um serviço. É muito comum, por exemplo, encerrarmos um plano em uma operadora de telefonia e ficar um saldo residual para pagar, e acabarmos esquecendo. Nesse caso, a única coisa que deve ser feita é o pagamento da dívida

Não sendo esse o caso, se for constatado que realmente a dívida é indevida, é importante se certificar que o seu nome foi parar nos órgãos de proteção ao crédito, como a SERASA, por exemplo, e ter isso documentado

Para isso, basta comparecer no órgão da sua cidade (se não tiver, muitas lan houses prestam esse serviço) e solicitar um “nada consta”. Em alguns casos esse valor é cobrado, mas dificilmente passa de R$ 10,00. Esse documento é muito importante para o próximo passo

Confirmando a negativação, é importante registrar uma ocorrência policial, pois você pode ter sido vítima de alguma fraude, e isso também pode ter acontecido com outras pessoas. Daí a importância de avisar as autoridades, pois você poderá ajudar a solucionar um eventual crime. 

Se no seu “nada consta” estiver apenas essa negativação, a justiça entende que as pessoas que passam por essa situação tem direito a uma indenização, que varia entre R$ 3.000,00 e R$ 5.000,00 de dano moral. Não existe uma tabela que defina o valor de indenização por dano moral. Esses valores são baseados nos processos que ganhamos no nosso escritório. Já tivemos valores menores e valores bem maiores a esses. 

O fato é que essa indenização é paga também para desestimular essa prática por algumas empresas que são negligentes e, agindo assim, colaboram para a prática de crimes. Já vimos casos de clientes que preferiram pagar a dívida que não era sua para ter o nome limpo, e simplesmente deixaram para lá. Porém, deixando de seguir os passos acima, o cidadão estaria incentivando essa prática que tem prejudicado tantas pessoas. 

E você? Conhece alguém que passou por uma situação parecida? 

Caso conheça alguma situação que achou interessante e queira que comentemos, entre em contato.