Bullying refere-se à pratica de atos moral ou fisicamente violentos contra alguém, causando danos a vítima através de sua contínua e frequente ocorrência. Em ambiente escolar esta conduta já vem sendo investigada há algum tempo, no ambiente de trabalho é um conceito atual para algo já existente.

As formas como o bullying se manifesta no ambiente de trabalho são diversificadas, podendo se tratar de situações sutis ou que extrapolem todos limites – piadas, brincadeiras de mau gosto com alguma fragilidade da pessoa, tipo físico, forma de falar, exclusão de confraternizações e até mesmo o bom desempenho de suas funções, entre outros.

É comum que a pessoa vítima destas atitudes não reaja, tenha medo de se defender e não mencione o fato com os superiores ou departamento de RH da empresa. Este fato agrava ainda mais os reflexos que tal atitude terá na vida do trabalhador.

Quando o bullying vem justamente do chefe, a situação pode parecer ainda mais grave e sem saída para a vítima, que pode contar com a ajuda do Ministério do Trabalho (denunciar o chefe e ter a garantia de anonimato), com o sindicato de categoria ou com um advogado que lhe auxilie nesta questão.

É importante que todos tenhamos noção de que o que é para nós um comentário engraçado, uma piada, poderá não ser entendido pelo outro deste modo, devido à suas vivências anteriores. O respeito e diálogo são fundamentais, por isso, ao perceber que um colega não aceita bem alguma atitude, deve-se evitar e avaliar a situação.

Algumas atitudes do trabalhador que sofre com este problema podem ser identificadas por quem convive com ele, como por exemplo, exclusão dos demais colegas, alto índice de faltas, estresse, descontrole emocional, menor produtividade nas rotinas.

O bullying no ambiente de trabalho é tratado judicialmente como uma conduta de assédio moral, onde havendo a comprovação das atitudes do agressor, poderá o trabalhador requerer indenização pelos danos sofridos, já que poderá ter sido afetado em suas tarefas laborativas, pessoais, em sua saúde física e mental.

Além de poder responder em processo por danos morais, podendo ser condenado à danos morais e ocasionalmente danos materiais, o agressor poderá ser demitido por justa causa da empresa.

O bullying é uma violência grave, e precisa ser tratado como tal. Por isso, ao identificar condutas assim, buscar a solução pacífica e não obter resultados, o trabalhador deve buscar medidas mais severas, pois trata-se de algo capaz de causar-lhe problemas sérios em todos os aspectos de sua vida – profissional, pessoal, intimamente.