Após incontáveis perdas de todos os tipos decorrentes da pandemia do coronavírus, válido extrair algumas lições que podemos visualizar e que são geradas pelo isolamento social que está obrigando as pessoas a organizarem sua atividade econômica de forma mais eficiente, como por exemplo, o home office.

 

O período de “cárcere privado” obrigou os profissionais a testarem e se adaptaram ao home-office, no qual, em muitos casos, pretenderão continuar (após a pandemia), por perceberem os benefícios do tempo economizado em deslocamento e da funcionalidade de consumir sem sair de casa.

 

Não haverá dia certo e determinado para voltarmos a sair para a rua. Essa recuperação será lenta, exigindo cuidados redobrados.

 

Também por esse motivo, a estrutura de home office deverá ser valorizada.

 

Diante do mundo novo que deve surgir, elencamos abaixo, um quadro comparativo demonstrando que as vantagens do trabalho remoto, beneficia à todos em geral:

 

 

 

EMPRESA EMPREGADO COLETIVIDADE /
MEIO AMBIENTE
Diminuição de despesas com:
     
a) Aluguel (na medida em que contará com menos número de colaboradores que atuam presencialmente) 1) Flexibilização do horário de trabalho, o que permite a adequação do  atendimento das necessidades pessoais I) Melhora na mobilidade urbana com a diminuição do uso de veículos, notadamente nos horários de pico
b) Menos equipamentos como telefone, computador, impressora, no break etc) 2) Realização das atividades no horário em que seu rendimento é melhor  
c) Menor consumo de energia, água, material de limpeza e higiene pessoal. 3) Maior comodidade II) Diminuição da poluição do ar – menor emissão de poluentes em virtude da diminuição do uso do carro
d) Vale-transporte 4) Ganho de tempo anteriormente perdido no deslocamento casa-trabalho (e vice versa), para uma atividade física, por exemplo, ou levar/buscar o filho na escola.  
e) Alimentação 5) Melhora da saúde em virtude da diminuição do estresse decorrente de engarrafamentos. III) Diminuição da poluição sonora 
f) Otimização das atividades (maior eficiência) 6) Menor exposição à violência urbana (acidentes de trânsito, assaltos, sequestros etc.)  
g) Aumento da produtividade 7) Aumento da satisfação e maior motivação  
i) Aumento do índice de motivação 8) Economia com roupas, calçados, maquiagem etc  
j) Diminiuição do pagamento de dias parados (Ex: atrasos, faltas injustificadas etc) 9) Aumento do convívio familiar  
  10) Economia com combustível com menor manutenção do veículo  

 

 

 

A experiência forçada nos confirmou aquilo que já sabíamos, de que o trabalho a distância também não compromete o poder disciplinar do empregador, pois o serviço pode ser gerenciado mediante:

 

Ø Fixação de metas de desempenho a serem atingidas e monitoramento do cumprimento das mesmas;

Ø Aferição da qualidade do trabalho;

Ø Aferição da produtividade;

Ø Realização de reuniões através de meios telemáticos (Skype, Zoom, Facetime, Whereby dentre outros).

 

 

Por fim, registramos apenas duas ressalvas que devem ser sempre observadas nessa modalidade de trabalho:

 

1ª.) O teletrabalho exige o uso de meios telemáticos e informatizados de comunicação e interação hoje disponibilizados pelo avanço tecnológico, de modo que a execução do trabalho possa se dar em qualquer lugar sem que haja diminuição na qualidade do trabalho ou na sua eficiência e,

 

2ª.) Deverá haver orientação ostensiva do empregador, por escrito, no tocante às precauções para evitar doença de trabalho (exemplo: solicitar pausas periódicas).

 

RICARDO SERAFIM