A violência contra a mulher é um fato cada vez mais alarmante em escala mundial, seja por motivos culturais, filosóficos, religiosos. O crime contra a mulher não é apenas atribuído as classes pobres, ocorrendo em todas as classes sociais. A Constituição Federal em seu artigo 5º assegura que todos são iguais perante alei sem qualquer distinção, porém historicamente sempre existiu desigualdade nas relações entre os sexos mesmo após o advento da Lei Maior em 1988.As desigualdades foram amenizadas porém acompanharam a história no decorrer dos séculos seguintes sempre tendo a mulher papel de coadjuvante em um comparativo com o homem, em meados da década de 1960 inicia no Brasil o movimento feminista, reivindicando para as mulheres a igualdade de direitos, para alguns historiadores o feminismo foi uma das maiores revoluções do  século XX, o movimento levantava questões de interesse de todas as mulheres.

A simples tipificação do crime de feminicídio não faz com que exista menos assassinatos de mulher no Brasil, pois como salientado é uma questão histórica que necessita cada vez mais de conscientização e respeito pela dignidade humana, indiferente do gênero. A importância da inclusão do feminicídio é grande, vista a visibilidade que ganha o assunto no mundo acadêmico e jurídico em geral, com revisões de doutrinas, com novas interpretações trazendo maior proteção a figura da mulher.

Embora cinco anos da existência da qualificadora na legislação brasileira o crime de feminicídio aumenta ano após ano no Brasil, o número de feminicídio em um comparativo com o número de assassinatos entre 2018 e 2019 e maior, ou seja, a muito mais morte no Brasil pro motivo de gênero. Pelo segundo ano consecutivo o número de homicídio de mulheres caí, porém ao tratarmos do feminicídio é o segundo consecutivo em que os números aumentam.Estudos direcionados a cidade de Salvador apontam que o direito penal por si só não é capaz de combater a criminalidade existente, pois não é instrumento para prevenção e sim para punição, devendo existir maiores políticas públicas que visem a
demonstrar e combater a descriminação de gênero existente no Brasil. O feminicídio é um crime cruel e selvagem não sendo admissível sua aceitação em uma sociedade que prima pela igualdade, que luta por direitos humanos, e a dignidade de seus cidadãos. Além do mais sabemos que existem diversos canais de denúncia como o 180 que é o canal direto com Secretaria de Política para Mulheres e ainda as denúncias podem
ser feitas através de uma das DEAM”s que são as delegacias especializadas de apoio as mulheres, que acolhem muito as vítimas de violência praticada no ambiente doméstico.

Diante dos altos índices vistos neste trabalho sobre a violência doméstica, é de suma importância também que a justiça, bem como os políticos do nosso país revejam e criem mais medidas para atender a grande demanda de mulheres afetadas pela violência doméstica que sobretudo é uma realidade do País inteiro, em cada região para combater esse inimigo de dentro das residências, ou através de políticas de reparação social ou até mesmo de adequando possivelmente em nosso país medidas internacionais utilizadas em outras federações.