Você tirou férias ou alguns dias para passear com a sua família em um parque ou resort.

 Foi abordado por um vendedor, e este te chamou para uma pequena “apresentação” sobre uma oportunidade de fazer um bom negócio.

 Lembrando: você está lá apenas para relaxar e desfrutar o momento com a sua família, e não para fechar um negócio!

 Veja que você está em um momento de lazer, tornando-se vulnerável.

 O problema já começa por ai...

 Nesta apresentação são oferecidos brindes e, as vezes, até bebidas.

 Tudo isso para te convencer a comprar uma cota de um imóvel em regime de multipropriedade (que é, nada mais nada menos, que adquirir uma “fração” do imóvel).

 Ou seja: juntou o seu momento de lazer com as técnicas agressivas de vendas.

 Você fica encantado com o lugar, com as facilidades da compra e da oportunidade de voltar ao mesmo lugar outras vezes, mas agora, podendo dizer que o imóvel é seu.

 O que aconteceu foi: você comprou uma fração de um imóvel no calor da emoção, sem ter tempo para pensar se realmente esse era um bom negócio.

 E mais, não foi devidamente explicado como funciona tudo isso.

 Você percebe ainda, a dificuldade em voltar ao lugar para usufruir do imóvel, pois é muito longe de onde você mora.

 O fato da compra ter sido “emocional” e juntado com algum outro motivo (por exemplo, a alta do IGPM), você acaba se arrependendo e quer desistir.

 Você procura a empresa para desfazer o negócio, mas encontra muitas dificuldades, como por exemplo:

  • Dificuldade em conseguir contato com empresa
  • Demora na elaboração do distrato (para você assinar)
  • Te passam um valor muito baixo a ser restituído, OU PIOR, que você terá que pagar algum valor para desfazer o negócio

 Esses são apenas alguns dos problemas enfrentados pelo consumidor quando se trata desse tipo de compra.

 POSSO DESISTIR DO NEGÓCIO?

Sim, você tem esse direito!

Só que precisa observar algumas coisas.

Primeiro, em até 7 dias da compra, você tem o direito de desistir e reaver todos os valores já pagos.

E se passou dos primeiros 7 dias?

Passado esse prazo, você continua com o direito de desistir. Porém, os valores pagos serão parcialmente devolvidos, pois a empresa pode descontar algumas coisas.

O que pode ser descontado?

Dos valores que você já pagou, pode ser descontado pela empresa:

  • COMISSÃO DE CORRETAGEM

Esse é o valor pago ao corretor que fez a venda.

 Atente-se: esse valor só pode ser descontado se previsto no contrato! 

  • IPTU E CONDOMINIO

Essas despesas também podem ser descontadas do valor que será devolvido para você.

 Atente-se: só poderá ser descontado se você ficou devendo.  

  • TAXA DE OCUPAÇÃO DO IMÓVEL

Essa taxa é a que costuma causar maior confusão.

 A taxa pela ocupação do imóvel, pode ser cobrada em decorrência da utilização do imóvel pelo comprador.

 Atente-se: essa taxa deve ser descontada PROPORCIONALMENTE!

 Em compras de cotas, geralmente o consumidor recebe um “cronograma de uso”, nos períodos em que ele poderá usufruir do imóvel.

 Assim, a empresa vendedora só poderá descontar o período em que o imóvel esteve disponível para você utilizar (geralmente são apenas alguns dias do ano).

  • MULTA PELA DESISTÊNCIA

A multa também pode ser cobrada, o percentual varia de acordo com alguns fatores, como por exemplo, a data da compra.

 Importante o consumidor ficar ligado, para verificar se a multa não está abusiva.

 Mas fique atento! Muitas vezes os valores não são descontados corretamente, colocando o consumidor em enorme desvantagem.

 Eu quero desistir do negócio, o que devo fazer?

 Procure a empresa pelos canais de atendimento e solicite o “DISTRATO” (rescisão).

Caso não consiga contato ou, mesmo tendo conseguido o contato, a empresa se nega/enrola a emitir o distrato para que assine, você deve ingressar com uma ação judicial para que tenha o seu contrato rescindido e os valores recuperados.

 Dica: enquanto você não conseguir desfazer o negócio, é aconselhável continuar pagando as parcelas E o condomínio normalmente, pois caso não pague, a empresa que te vendeu o imóvel poderá utilizar os meios legais para cobrá-lo (notificação, sujar o nome, entrar com processo).

 Você deve estar atento: se decidiu desfazer o negócio, busque fazer o mais rápido possível, pois, quanto mais você demora, mais dinheiro irá perder do que já pagou.

 Essas foram as considerações mais importantes com relação a esse tipo de compra, com base nos questionamentos mais recebidos.

 Até a próxima!