Caso prefira, você pode escutar o artigo clicando aqui

Com tudo cada vez mais tecnológico, o pix tem sido cada vez mais utilizado pela população brasileira, até porque é uma prática de pagamento instantâneo, de baixo custo e com segurança. Sem contar que funciona 24 horas por dia, 7 dias da semana, em todos os dias do ano. Logo, tornou muito mais fácil e rápido o pagamento e transferência de dinheiro entre pessoas e estabelecimentos comerciais. 

Contudo, para essa ferramenta funcionar é preciso que a pessoa faça uma chave, que será seu “endereço” eletrônico, isto é, é o que a pessoa colocará quando quiser fazer uma operação de transferência para você. Em outras palavras, a chave-pix é, basicamente, um dado que permite enviar dinheiro a alguém. 

Esta chave pode ser o CPF, número do celular, e-mail ou um código aleatório do recebedor e,  é aí que mora o perigo, porque um número errado você pode acabar enviando para outra pessoa, justamente por conta dessa facilidade e agilidade. Por isso, é muito importante que após digitar a chave-pix, você verifique todos os dados do destinatário e o valor a ser repassado, antes de digitar a senha do cartão. 

Nesses casos, é necessário tomar certos cuidados como procurar o seu banco e, juntamente com ele, procurar a pessoa que recebeu o pix por engano. Mas e se você fizer o pix errado e a pessoa não quiser devolver o dinheiro? Infelizmente, esse tipo de conduta é mais comum do que parece. 

Em primeiro lugar, é necessário manter a calma e não se desesperar porque há chances de recuperar seu dinheiro! Segundo o Código Civil, em seu art. 884, em caso de uma pessoa se enriquecer “do nada”, sem motivo algum, como é o caso do erro na transferência, ela é obrigada a devolver o valor a quem pertence.

Contudo, em caso de negativa, você deve procurar uma advogado especialista no assunto! Com ele, você poderá realizar um boletim de ocorrência e ainda poderá ajuizar uma ação contra este sujeito que recebeu o pix e não quis devolver o valor. 

Ficou com alguma dúvida ou precisa de ajuda jurídica especializada? No Dubbio você pode entrar em contato com a base de advogados(as) cadastrados na plataforma e enviar sua dúvida para advogados(as) de todo o Brasil. Se interessou? Basta clicar aqui