Os procedimentos estéticos estão cada vez mais comuns, inclusive o Brasil ocupa o 2º lugar no ranking dos países que mais fazem cirurgias plásticas no mundo, ficando atrás dos Estados Unidos da América. Então, há inúmeras pessoas que fizeram e estão satisfeitas com os resultados, porém também existem muitas pessoas que não gostaram do resultado e relatam ter sofrido danos em virtude dos procedimentos. 

Além disso, é importante ressaltar que muitas vezes esse resultado sai diferente do que o profissional envolvido no tratamento estético havia se comprometido. Por isso, fica cada vez mais decorrente demandas nesse sentido. Assim, surgem dúvidas acerca da responsabilidade do profissional, isto é, ele pode ou não ser responsabilizado sobre o resultado diverso do pretendido pelo paciente?

Vale dizer também que não é tão somente o médico especialista em cirurgia plástica que corre o risco de ser condenado por algum processo judicial, mas todo e qualquer profissional da área da saúde que venha a realizar procedimentos estéticos, tendo em vista que assumem uma responsabilidade pelos resultados. 

Existem casos em que o paciente teve reações não esperadas com produtos aplicados em sua pele. Um caso recente que chamou atenção da mídia foi dezenas de mulheres que denunciaram uma dentista que realizava procedimentos estéticos, no qual as vítimas pagavam por aplicações de um determinado produto, mas as injeções eram de outra substância, mas barata e mais perigosa. 

O ideal é que aqueles que desejam realizar algum procedimento estético façam uma busca entre os profissionais e encontre aquele mais capacitado para tal. Ademais, que durante o procedimento, seja observado o material utilizado, a quantidade e o local em que será aplicado Por fim,  também solicite o prontuário de atendimento e informações das possíveis consequências do tratamento. 

Se, por um acaso, mesmo seguindo todos os cuidados você vier a sofrer qualquer tipo de dano, seja corporal, moral ou ético, procure um(a) advogado(a) especialista no assunto. Assim, você terá todo e qualquer respaldo jurídico de acordo com o seu caso concreto. Lembrando que o dano estético é qualquer ofensa à integridade física da vítima, que tem o poder de gerar deformidades ou perdas visíveis. 

Ficou com alguma dúvida ou precisa de ajuda jurídica especializada? No Dubbio você pode entrar em contato com a base de advogados(as) cadastrados na plataforma e enviar sua dúvida para advogados(as) de todo o Brasil. Se interessou? Basta clicar aqui